domingo, 27 de dezembro de 2009

Feliz 2010, 2011, 2012, ... 2023...

O tempo voa para todos, isso não é novidade. Cada um sente de uma maneira. Há dez anos, formatura na faculdade; casada há quase cinco, namorada há uns 13, doutora há um ano. Pequenos-grandes marcos. Se me perguntar, parece que tudo foi ontem. Felizmente, queridos amigos permanecem, outros surgem. Vêm os filhos dos amigos e eu curto ser titia, só meus ursos de pelúcia ficam com um pouquinho de ciúme. (A resposta “àquela pergunta” é “quem sabe uma hora dessas?!”). Ano de muito, muito trabalho, fim de ano de muitos amigos-secretos e revelados. Surpresas, alegrias e umas poucas decepções (que, afinal, também são experiências). Amigos que prometem visita e deixam a gente morrendo de saudade, mas fica para “ano que vem”. Drummond achou ótima a ideia de “cortar o tempo em fatias”. A labuta fica mais leve, degustando um doze avos da pizza por vez e renovando todas as esperanças no fim do ano. Acho que, quando o poeta escreveu que a divisão do tempo em 12 “industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão”, ainda não tinha a dimensão do que seria um tempo “industrializado”. Um tempo em que você termina o ano com a agenda cheia de compromissos para o ano seguinte. Agenda... Gosto de agenda. Dá impressão que o tempo é eterno, acaba uma, a outra já começou. Mas a gente sabe que não é bem assim. Por isso, tem que tentar fazer logo um pouco daquilo que Drummond propõe em outro poema: “namoro no portão, sábado com seu amor, noite de lua cheia, rever uma velha amizade, rir como criança, ouvir canto de passarinho...”. O tempo voa... Dezembro passado, vivi a expectativa de minha primeira viagem internacional. Já fui e já voltei. Um mês na Noruega foi algo extraordinário na minha vida. Lembranças incríveis na bagagem. Mas, quer saber o que foi melhor? Rever meu amor no aeroporto. É assim mesmo. Tudo vale a pena. Amar vale ainda mais. E olha que meu amor é bem racional! Razão, emoção, arte, vida...
Queria mais tempo para meu Liquimix em 2010. Queria renová-lo. Mas não vou prometer nada. Vou viver. É o que importa.
Feliz, feliz Natal! E um 2010 cheio de realizações, sonhos, novas realizações, novos sonhos. Assim, um ciclo de felicidade!

OBS. Liquimix está de mudança: migrando de http://liquimix.zip.net para www.liquimix.blogspot.com