sábado, 1 de maio de 2010

Ética do oportunismo

Matéria da revista Veja conta que o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares ("aquele acusado de corrupção e formação de quadrilha") pregou ética na política em solenidade de formatura no interior de Goiás (Onde está Wally? Veja, 24/03/2010).
Pois é. E o pior é que sua escolha como patrono está vinculada ao fato de ter presenteado os estudantes com R$ 6000,00.
Se ética tivesse preço...
Segundo a apuração de Veja, assim justificou o presidente da Comissão de Formatura: "A gente ficou sabendo que o Delúbio gostava de participar desse tipo de festa, inclusive ajudando financeiramente. Fomos até sua fazenda e fizemos o convite para ele ser o nosso patrono. Ele topou na hora e, aí, a gente perguntou se ele poderia dar uma ajudazinha nas despesas. Ele perguntou de quanto. Deixamos por conta dele."
E os estudantes ficaram felizes e formados. Prova de que (só) um diploma debaixo do braço não significa nada.

Lembranças à tona

- Essa história me lembra a de um patrono que foi convidado e, depois, "desconvidado", por terem os formandos encontrado um padrinho mais "generoso" financeiramente.

- Felizmente, duas vezes em que fui homenageada em formatura (na Unesp/Bauru, pelos cursos de Jornalismo e Relações Públicas da Faac), foi gesto verdadeiro e espontâneo. Sou grata pelo reconhecimento dos alunos e por ter contribuído com a formação de jovens profissionais que não se deixavam vender.

- E não é que, certa vez, uma "colega" (como sempre se diz, a gente não precisa de inimigos), lá pelos meus 19 anos, me justificou (sem que houvesse qualquer necessidade disso) que não me convidaria para madrinha de casamento porque eu e meu namorado (hoje, marido) éramos meros estudantes? Costumo esquecer as bobagens, mas é que essa foi engraçada. Do ponto de vista da (falta de) ética e do oportunismo, essas fabulazinhas da vida real se entrelaçam.

- Por fim, não custa reforçar a moral da(s) história(s): é sempre válido ficar bem atento aos convites que se recebe. Os de coração serão atendidos de coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário