sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Estive em Veneza com Johnny Depp




I’m sorry. É a primeira fala de Johnny Depp em O Turista. Como assim? Desculpa-se por ser o astro que é ou um gentil e aparentemente abobalhado professor de matemática?
O diretor Florian Henckel também parece querer se desculpar pelo filme. Segundo a Folha de São Paulo,

Henckel diz que, mais do que profundidade, estava atrás de algo "divertido, cheio de luz". "Tinha passado um ano e meio escrevendo o roteiro de um thriller político quando Angelina [Jolie] me ligou. Achei que seria bom fazer esse filme antes de voltar para o universo escuro do meu próximo projeto, um filme sobre suicídio." (FSP, 21/11/2011).

Gente, por que tem que se justificar? É um filme delicioso e pronto. Assisto a todos os filmes com Johnny Depp, é regra. Nem por isso sou cega, reconheço que há atuações melhores do que outras, histórias mais e menos convincentes. Edward Mãos de Tesoura é talvez o meu mais querido Conto de Fadas. Em Don Juan de Marco ou Chocolate, eu me apaixono. Enigma do Espaço é um dos filmes mais toscos que já vi na vida. E assim vai.

Grande coisa piadinha de Ricky Gervais no Globo de Ouro. Como disse Renato Russo em 1988 (está registrado no livro Renato Russo de A a Z, Ed. Letra Livre, p. 25), tem hora em que a gente lê alguns artigos e pensa “Pô, esse cara, quando acorda, não deve nem sorrir para o sol nascendo”.

Tá, eu costumo acordar chatinha, porque precisava dormir mais. Mas aí, dirigindo, no caminho, lembro-me de que mais um dia está começando e isso já é uma dádiva. Vou ao cinema para ser feliz, não para buscar furos nos roteiros, falhas de cortes e de interpretação ou analisar o foco da fotografia. Eu sei curtir. Dane-se se os críticos consideraram uma rendição a Hollywood, uma diluição autoral do diretor. Passei duas horas divertidas, dentro de uma história de amor, vendo meu ator preferido e as paisagens lindas de Veneza, achando graça dos trejeitos de Jack Sparrow percorrendo telhados.

O enredo é facilitado? É. Se fosse vida real, os mocinhos-meio-vilões não driblariam tantas balas, como na maioria dos filmes de ação (alguém conhece um Indiana Jones real?).

A personagem de Angelina poderia ter escolhido outro cara no trem? Dificilmente. (Vem cá, leitora, você escolheria outro, se o Johnny Depp estivesse no vagão? Já se você é leitor, é tão certo que discorde disso quanto não abre mão de que o seu time é o melhor).

A química entre os protagonistas não foi das melhores? Acho que não, pelo menos nisso concordo com os críticos. O casal está longe de ser um Sr. e Sra. Smith (sorte de Vanessa Paradis, rsss)

Mas...

Imagine-se descendo de um iate para um baile em Veneza, sabendo que todos os desafios serão vencidos, porque, na ficção, isso é sempre possível. Até mesmo o enigma de poder amar verdadeiramente duas pessoas.

Angelina Jolie, para mim, era só um detalhe. Eu estive em Veneza e Johnny disse que me amava.
Antes, ainda tomei um café em Paris.
Adorei o Turista.

(PS: amor-fantasia não é traição)

domingo, 16 de janeiro de 2011

Areia que canta

A cidade de Brotas, interior de SP, há algum tempo vem afirmando o seu potencial turístico, especialmente para quem gosta de aventura e ecoturismo. E Brotas tem opções para gostos variados, tanto para quem curte algo bem radical quanto para quem procura apreciar belas paisagens, de forma bem sossegada numa rede preguiçosa, ao sabor de comidinhas tipicamente caseiras. Certamente, essa diversidade agradou a mim, que fico no meio do caminho entre o espírito de aventura e a tranquilidade.
Apesar de não tão distante de Bauru (cerca de 1h30 de carro), era um lugar em que ainda não havíamos estado. A partir de pesquisas e indicação de amigos, optamos pelo Fazenda Hotel Areia que Canta. Ótima escolha!
O hotel possui uma área verde muito ampla e atrações variadas, o que garante a diversão sem precisar sair do local de hospedagem.



A mais famosa dessas atrações é a Nascente Areia que Canta. Tivemos sorte, pois pegamos um lindo sábado de sol e foi possível fazer a visitação completa, entrando na nascente. A monitora nos explicou que só seria possível entrar se não chovesse na madrugada de sexta para sábado (e realmente não choveu, ao contrário de todos os dias e noites anteriores da semana). Sorte mesmo! Fomos abençoados com um lindo fim de semana ensolarado em meio a um mês de chuvas intensas e constantes.



Para chegar à nascente, fizemos uma trilha de 3 km. A volta foi de carona no trem-trator da fazenda. Também é possível fazer uma boa parte do trecho de carro (mas só se você tiver muita preguiça de andar, pois, pela manhã, a caminhada é uma delícia!)



E vale muuuuuuuuito a pena!!! Porque olha só a visão da nascente! Lá, a água é cristalina e, ao pegar a areia na mão e esfregá-la, em formato de concha, o atrito faz aquele barulhinho que parece um canto de pássaro, devido à presença de quartzo nessa areia.



Dentro da nascente, você tem a sensação de afundar, como numa areia movediça, mas não passa do joelho. Mesmo assim, só é permitida a entrada com colete salva-vidas e, para preservar o lençol freático, é preciso entrar boiando até o local em que se pode pisar. Quando você põe o pé na água, a sensação é de frio, porém, ao entrar com o corpo todo, vai ficando quentinho e não dá vontade de sair!

Entre as opções que o hotel oferece, estão piscina aquecida, quadras de futebol e basquete, redes e bosques, passeio a cavalo e, ainda, ficam à disposição dos hóspedes pedalinhos e caiaques para passeio no lago.





Além de ser muito divertido pedalar, do lago, é possível apreciar de vários ângulos uma vista maravilhosa!



Os apartamentos são amplos e confortáveis, afinal, nada melhor do que uma acomodação agradável com uma cama macia depois de um dia cheio de atividades. Eu, que não sou boba nem nada, escolhi o apartamento com banheira de hidromassagem, o que mudou completamente o meu conceito de banheiro, rss... (já dizia minha vovó, "acostumar com coisa boa é fácil"!). Levei espuma d'O Boticário para curtir o banho. E, como sempre estou (estamos) em Lua de Mel (e logo é nosso aniversário de casamento), optamos também por um Kit especial, com espumante, trufas, frutas: bem romântico!



A simpatia dos monitores tem sido um diferencial de lugares como o Aguativa Resort e o Areia que Canta não ficou para trás. Como o hotel, ao que parece, está em fase de expansão, ainda não são muitos monitores (creio que em pouco tempo precisarão de mais), mas o pique deles não deixa a desejar! Tio Ivan, Tio Fubá, Tio Super, Tia Jana e um tio muitíssimo engraçado que faz a Tia Goreti da hidroginástica são alegria garantida e divertida! (perdão se esqueci de algum "tio").
Na noite de sábado, teve Luau, ao som do violão do Tio Ivan em torno da fogueira.



Só para resumir: acho que foi um dos passeios mais divertidos e bem-aproveitados que já fiz!

OBS. Este texto, assim como os outros do Liquimix, NÃO é patrocinado. Pagamos inteiramente as nossas diárias e aqui coloco minhas impressões de hóspede-jornalista.

FOTOS: Érika de Moraes e Ronaldo Schiavone. (A foto dentro da Areia que canta foi clicada pelo Tio Fubá, com nossa máquina.)

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Praia - momentos

Ele e eu


Minha tatoo de henna




Pequenas e encantadoras bugigangas, como esta tornozeleira


Eu


Crepúsculo da Riviera/Bertioga

A Estrada é uma Aventura

Chuva intensa


Pedágios




Neblina


Trânsito. Caminhões nas três faixas


Luz no fim do túnel