sábado, 2 de junho de 2012

Wagner Russo?

Fato inusitado da semana foi a presença (a emoção, a inspiração, a novidade*) de Wagner Moura no palco, ao lado de Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá, num Tributo a Legião Urbana.

(*Tá, nem tão novidade assim, ele tem uma banda e cantou Tempo Perdido no filme O Homem do Futuro)

Antes de acontecer, já se sabia que o show seria criticado, amado e odiado. Enfim, não passaria em branco. Não passaria imune.

PARA OS INDIGNADOS: como pode? Wagner Moura não canta. É ator, não cantor. Como colocá-lo no lugar de Renato Russo?

PARA OS APAIXONADOS (por Moura): Wagner é lindo e só isso importa.

Para a geração Legião, saudosismo e um pouco de estranhamento? Para a nova geração, curtição, admiração...

Um equilíbrio?

Desde a proposta, ficou evidente que a ideia era colocar alguém no lugar de um fã. Se para ele foi uma emoção especial, única, incrível, indescritível pela qual nenhum outro fã terá oportunidade de passar, sorte dele. E acrescente-se: é MTV!

Além do mais, quem poderia substituir o vozerão de Renato Russo? Encontrasse a MTV alguém musicalmente comparável a Renato, e ainda assim ele não seria substituído. Foi único.

Renato Russo, entre outras coisas, sempre falou de amor.

Ainda que eu falasse a língua dos homens...

Está valendo. Curtir. Amar. Odiar pra que?

(Ah, e eu falei das letras de Renato Russo num programa da TV USC em 2011).



Imagem captada da Internet com o crédito "Divulgação".

2 comentários:

  1. Eu fui a esse show em São Paulo. A energia transmitida da banda pro público e repassada com a mesma emoção foi algo que me marcou muito naquela noite. Não imagino que a ideia fosse colocar um substituto do Renato Russo, isso seria impossível! Mas já tentaram colocar cantores em um tributo ao Legião Urbana, ano passado no Rock in Rio, e não deu certo. Cada artista atribui a sua característica na música e não passou a verdadeira emoção que era necessária para um show do Legião Urbana.
    O Wagner estava no papel de fã, para incentivar o público a cantar as músicas e prestar atenção no que realmente interessava ali, o Dado e o Bonfá. Fato que ninguém percebeu, perdendo tempo em criticar o Wagner Moura.
    Quando Renato Russo faleceu, eu tinha 6 anos e só fui conhecer Legião Urbana com 12. Estar naquele show foi o contato mais próximo que eu conseguiria do Legião Urbana. Ver o Dado e o Bonfá ao vivo foi uma experiência muito importante pra mim. Confesso que não resisti e chorei a maior parte do tempo.
    Eu esperei esse show por meses, assisti todos os especias que passaram na MTV, sou fã do Wagner Moura desde 2003 e sei o quanto ele é fã de Legião. Entendia exatamente a proposta do show.
    Acabou me deixando muito revoltada ler no facebook pessoas escrevendo algo como: "Eu odeio Legião Urbana, mas achei que o Wagner Moura estava péssimo" ou "quem o Wagner Moura acha que é para querer ser o Renato Russo?" e "ele estava apenas atuando, dava pra ver que era tudo fingimento".
    Como alguém "cai de paraquedas" em um assunto e já tem um opinião formada?
    Eu não ia mais falar sobre isso, mas achei que deveria comentar. Acabei fazendo um texto. hahaha


    Beijos e boas férias!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que você curtiu tanto e se emocionou, Tamira!!! Legião Urbana ultrapassando gerações...

      Excluir