quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Berlin

Cidade do muro e dos ursos




Em esculturas, estátuas e outros símbolos, os ursinhos estão sempre por ali. Logo ao chegar, encontro a homenagem do brasileiro Romero Brito à capital alemã, bem em frente à galeria do Muro.




Saímos de Munique na manhã do dia 18/7 (uma quarta-feira), chegando a Berlin por volta de 15h30. O ICE foi o trem mais confortável que pegamos, uma maravilha. Assim, o trajeto em si foi um passeio e contribuiu para chegarmos descansados (os trens mereceram um post especial). 

Apesar de termos apenas dois dias na capital alemã, foram incríveis e muito bem aproveitados. Contribuiu também o fato de estarmos num hotel muito agradável, o Arcotel John F, com cadeiras de balanço no quarto e no saguão.

No check in do hotel, compramos passe de ônibus turístico, o sightseeing bus, para dois dias (ele passava de 10 em 10 minutos com 20 opções de paradas). Tínhamos andado demais em Londres e Paris, então, a caroninha do bus turístico foi uma boa nesse momento (antes, eu só queria flanar, mas aqui me rendi).
Nossa primeira parada, ainda na mesma tarde de chegada, foi a galeria do Muro. 

Ah, o muro!... Vai merecer um post a parte.
Por hora, digo que foi/é uma emoção indescritível deparar-se com esse símbolo tão rico de História que, se antes foi um ícone máximo de segregação, hoje é uma grande galeria de arte ao ar livre, que nos lembra a todo instante: a beleza e a arte podem vencer a guerra. Desde que haja garra, fé, esperança, boa vontade, responsabilidade. É triste que alguns precisem morrer por isso. É inspirador o poder de transformação. 


Jantamos agradavelmente uma pizza com a vista de pôr do sol que mais me surpreendeu (a do primeiro post sobre esta viagem). É que de Berlin eu esperava encontrar História, sem estar certa de que encontraria também a beleza.

       Jantamos com vista para as estátuas "Three girls and a boy"

A quinta-feira 19/7 era o único dia que teríamos inteiro para Berlin. Pegamos nosso bus turístico às 10 da manhã (primeiro horário), depois de tomar café, e descemos novamente no muro, para apreciar a galeria com mais calma. Seguimos para outros marcos históricos como o Portão de Brandemburgo, o Monumento da Victória...
Almoçamos salsichão básico no Café Victória (tem que entrar no clima da cidade, né?).

Foram dias de chuva em Berlin. Foram dias rápidos e agradáveis.
E eu trouxe um novo morador para o meu Brasil. Tinha um ursinho no guarda-roupa do hotel, todo meigo, esperando adoção. Paguei a tachinha de adoção de 8 euros e trouxe-o comigo. Atualmente, ele vive feliz da vida com os irmãos brasileiros!

Depois de Berlin, ainda viria Amsterdam.
 

OBS.
Estava na Ilha dos Museus e não tive tempo de visitar museus em Berlin! Uma pena. Mas aproveitei o máximo de tudo aquilo que pude.
Seguem dicas que eu havia pesquisado para quem tiver mais tempo em Berlin.

Berlin
* Restaurante Paris Bar
* Scholoss Charlottenburg (Castelo)
* Explorar a Museumsinsel (Ilha dos Museus), em especial:
- Pergamonmuseum (Museu de Pérgamo)
- Alte Nationalgalerie
- Alte Museum

Informações do guia Europa:
Kurfürstendamm: "ampla avenida com animados cafés com jardins, casas luxuosas, grandes hotéis, lojas elegantes." Museu de fotografia Newton-Sammlung.
Alexandrowka: charmosa colônia. “Cabanas de madeira com intricados entalhes em seus próprios jardins”.
Park Sanssousi: um dos mais bonitos complexos palacianos da Europa. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário