quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Sobremesas europeias


Vamos falar um pouco sobre prazeres gastronômicos. Vou logo avisando que este post é de dar água na boca!
É muito legal entrar no clima gastronômico de um país. Na Noruega, por exemplo, aprendi a gostar de salmão fresco. Cada cantinho tem a sua especialidade culinária, assim como o Brasil também é rico nesse quesito.

Nesse momento, farei um registro dos meus doces inesquecíveis e sutilezas saborosas dos lugares em que estive.


LONDRES

Um dos momentos mais especiais em Londres foi o chá das 5 da Fortnum & Mason.
Foi dica de uma amiga que também está planejando viagem (eita momento gostoso, hein, Carol!)
Você pode fazer a reserva previamente pelo SITE e o pagamento é feito no local.
Escolhemos o Diamond Jubilee Tea Salon, salão recentemente reinaugurado pela Rainha Elizabeth (em Londres é tudo assim... Real!).


      Momento inesquecível!

     
      Recheado de sabores....


 ... e detalhes ingleses que fazem toda a diferença!

Tenho uma incrível capacidade de me adaptar aos paladares estrangeiros e logo passei a gostar de chá com leite.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

PARIS

A Cidade das Luzes, além de toda sua beleza, é uma festa gastronômica. Lá, um simples sanduíche ganha sofisticação e se transforma em um Croque-Monsieur.
Hoje, falarei de doces, certo?
Foi dica de outra amiga, a Adriana, brasileira de coração alemão, os macarrons da Fauchon. Veja AQUI e diga se dá para resistir.
E a bendita Fauchon ficava pertinho do nosso hotel, na região de Madeleine (passe por lá para ver a igreja e dê uma paradinha básica...). Conclusão: passamos por lá quase todos os dias. A loja também vende doces, geleias, vinhos, champanhes... Só não deu para trazer macarrons porque a validade deles é de 5 dias. 



E, sim, não tem Crème brûlée como o de Paris. Ai que vontade! O mais próximo que experimentei por aqui foi o do Restaurante Paris 6, em São Paulo.

Elegi o do Café Madeleine (perto do nosso hotel também), como o melhor da viagem. É literalmente uma doce lembrança gravada no paladar...


Falando em doces, seria injusto não citar o sorvete Berthillon, de Paris, citado por Paula Saboya (dona da sorveteria Mil Frutas, no RJ e SP) como um dos melhores do mundo, em uma reportagem que li.
Você encontra o sorvete em diversos pontos da Île de Saint-Louis, precisamente na Rua Saint-Louis. O importante é ser Berthillon!



O meu foi de chocolat + fraise!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

BERLIN

A  passagem pela Alemanha foi rápida, mas não nos impediu de provar um belo waffer com nutella e sorvete. O mais agradável é que foi numa pizzaria (Allegretto) em frente a um canal, com vista para o pôr do sol refletido nas águas, perto das incríveis estátuas "Three girls and a boy".




 (E, claro, na passagem pela Alemanha, não pôde faltar o famoso salsichão!}

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

AMSTERDAM

A capital holandesa é muito bem servida de excelentes restaurantes. Havia ouvido falar da famosa Apple Pie e a primeira que experimentei foi da Häagen-Dazs. Boa, porém um pouco “industrializada”.
Até que fui apresentada (pelo casal amigo norueguês que foi nos visitar em Amsterdam!) a uma verdadeira Apple Pie holandesa!

Apple Pie with Vanilla Cream and Ice-Cream... no Esprit Caffe.


 Esta é, literalmente, minha mais doce lembrança de Amsterdam, rsrs…



Mas ainda preciso contar sobre a sobremesa do Fish Restaurant "Lucius".
Obs. Para quem não é fã de peixe, como o Ronaldo, o Lucius tem um prato que contém um outro tipo de carne: “King prawns and rib-eye with sauce béarnaise”. Ronaldo ficou com esse e eu com o Salmon. “Rib-eye” é um filé de carne vermelha em formato redondo. Não fosse a dica do casal norueguês, eu jamais saberia que daria para “salvar” o Ronaldo num restaurante de peixe, rsrs... 

Vamos à sobremesa.
Este bolinho de chocolate, que se aproxima do que chamamos no Brasil de “Petit Gateau”, é assado na hora (o garçom avisa: “cuidado, está bem quente”) e, quando você coloca o garfo nele, é como uma calda de chocolate derretido (e não uma massa de farelo seco, sabe?). Imagine misturar isso com o sorvete e o creme à base de manga que acompanham...



Gente, fala sério, por que não dá pra trazer um desse na mala???
Como faz agora com o DESEJO???

Cheguei ao Brasil tão desejosa desses sabores, que (vou falar baixinho, tá?), de quinta a domingo, devorei uma caixinha de leite condensado sozinha. Mas agora eu vou me controlar

Nenhum comentário:

Postar um comentário