domingo, 6 de janeiro de 2013

Paris - Dicas de hospedagem, passeios, restaurantes


 Se você chegou a meu blog por meio deste post, convido para viajar em minha viagem através da tag "Europa" aqui do Liquimix.

Vai encontrar muitas dicas para organizar sua viagem por conta própria, a começar pelo PLANEJAMENTO, pela ESCOLHA DA CIA. AÉREA, critérios para escolher um bom hotel, e até mesmo sobre COMO ARRUMAR AS MALAS.

Sobre Paris, paixão da minha vida, há um relato completo dia a dia, com todas as dicas que pesquisei e conferi pessoalmente, com muito carinho (espie AQUI o comecinho de tudo, com dicas gerais sobre transporte local, idioma...).

A dica número 1 é sobre a localização do hotel. Ainda que pague um preço um pouco mais alto, ficar numa região de fácil acesso para os principais pontos turísticos ajuda muito a fazer o seu dia render (e lembre-se de que, numa viagem a Europa e especialmente à belíssima cidade das luzes, tempo é dinheiro!). Veja só quanta coisa conseguimos fazer EM UM ÚNICO DIA: Arco do Triunfo, Torre Eiffel, Musee de la Cité, Catedral Notre Dame, Saint Chapelle, Jardin du Luxembourg, Tour de Montparnasse...

Saiba como chegar a VERSALHES, emende um dia maravilhoso no Louvre com um jantar surreal na Torre Eiffel, conheça os Jardins de Monet por conta própria, veja por que vale a pena ir a Disney Paris

Para ver as dicas detalhadamente, curta a viagem comigo navegando por aqui!

Paris - A Chegada
Paris - O dia 1 - Flanar em Paris: do Arco do Triunfo a Montparnasse
Paris - O dia 2 - Versalhes - entre histórias, músicas e jardins
Paris - O dia 3 - Louvre e Restaurante 58 Tour Eiffel
Paris - O dia 4 - Monet e algo mais
Paris - O dia 5 - A Magia da Disney Francesa
Paris - O dia 6 - O 14 de Julho
Paris - O dia 7 - A Despedida
Viajando de Trem pela Europa 


E uma dica especial para quem está juntando dinheiro e/ou organizando as férias para a viagem dos sonhos. Comece a curtir e a conhecer melhor Paris através da leitura. Veja dicas AQUI

As dicas do Liquimix foram úteis para sua viagem? Comente aqui nos posts e contribua também com outros viajantes! Ficarei feliz em saber sua opinião.


* * * * * * 

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Gustavo Iochpe - o outro lado de sua argumentação



Band News, 3/1/2013

O economista Gustavo Ioschpe aponta o sério problema da educação no Brasil (no que parece correto) e dirige boa parte de sua crítica aos professores (o alvo certo?). Seus argumentos, basicamente:

1. Considera que há comparações desonestas: todos os salários no Brasil são ruins, não só o de professores (em outras palavras, os salários são ruins, mas são compatíveis com os salários de outras profissões com formação semelhante no Brasil).

2. Considera: se o professor não está contente com suas condições de trabalho, “mude de carreira”. 

Conclusão adjacente: o problema não é o sistema, mas o “descontentamento” pessoal (uma forma de invalidar as lutas sindicais e afins). 

Os mesmos argumentos poderiam levar à conclusão oposta: tivesse o nosso país menos corrupção, o dinheiro público poderia favorecer a dignidade de TODAS as profissões (não só a de professores). Os professores que supostamente escreveram e-mails com “erros de português” para Ioschpe (segundo relato dele) foram vítimas do mesmo sistema educacional que ele critica, gerando um círculo vicioso que sustenta o mesmo quadro lamentável. 

Argumentos pomposos e fáceis de serem derrubados, porém capazes de convencer aos menos atentos aos posicionamentos que estão por trás.

O argumento 2 tem sua validade. Se todos os professores decidissem estar em outra carreira, dariam lugar a outros profissionais que topariam nas mesmas condições (candidatos?).

Muitos professores de ensino fundamental e médio são verdadeiros super-heróis. (Não vou debater a carreira no ensino superior para manter um olhar externo). Alguns são profissionais medíocres? Com certeza, assim como acontece com economistas, advogados, médicos, cantores etc. etc. (Iochpe poderia dizer que não tiveram bons professores? Eis o círculo.) 

Certamente, alunos merecem um excelente ensino. Precisamos encontrar verdadeiros caminhos para atingi-lo. E o caminho individual talvez não funcione (“eu decido por outra carreira se estiver infeliz”), mas sim o coletivo.


Confira a entrevista da Band News neste LINK.