domingo, 19 de janeiro de 2014

Quatro Castelos Portugueses em um dia

Você tem apenas um dia para visitar alguns castelos próximos a Lisboa? Então, vamos começar cedo e conhecer quatro deles!

Partindo de Lisboa, pegue um trem para Sintra, por volta de 8 da manhã. Desça primeiro em Queluz, onde o famoso castelo no qual nasceu e morreu D. Pedro I abre logo às 9 da manhã.

Da estação de Queluz, é possível caminhar por uns 10 a 15 minutos até o castelo ou, se preferir, pegar um táxi.

Na minha opinião, Queluz é um dos mais bonitos, pelo seu aspecto mais tradicional e por tudo que representa.


Vistas de Queluz (confira outras no post abaixo)


Detalhes do Canal de azulejos no jardim de Queluz

Érika & Ronaldo no Canal dos Azulejos, jardim de Queluz

Queluz: fontes inspiradas em Versalhes

Feita a visita em Queluz, ambientes internos e externos, retorne à estação para pegar novamente o trem, desta vez até Sintra.
Em Sintra, uma boa pedida é começar pelo Palácio Nacional, que é uma graça e já fica próximo ao Centro Histórico.

Os dois cones brancos, que dão charme ao Palácio Nacional, perdem um pouco do glamour - mas não do encanto - quando você descobre que são a chaminé da cozinha 

Azulejaria e tetos suntuosos

É hora, então, de parar para uma refeição, que pode ser um lanchinho no Piriquita, com o famoso doce travesseiro como sobremesa. (a sugestão é comer apenas um doce: é gostoso, porém beeeem doce)


Em frente ao Piriquita: o charme das ruas estreitas portuguesas

Depois, é hora de conhecer o famosíssimo Castelo da Pena, que, repleto de cores e torres, é realmente lindo de se ver. Costuma-se dizer que é o mais bonito (talvez por isso, o mais lotado de turistas). Eu, particularmente, embora tenha gostado de todos, fiquei mais tocada com Queluz.

Para o Palácio da Pena, é necessário pegar um ônibus que passa pelo Centro e sobe a montanha que leva até o Castelo.


As cores do Palácio da Pena ficam ainda mais vivas com o céu azul. Fomos presenteados pela Natureza!



Do Palácio da Pena, descemos a pé até o Castelo dos Mouros. Havia a opção de pegar o ônibus, mas não compensaria esperá-lo, ainda mais porque já havia uma fila grande no ponto. Deixar o dos Mouros por último revelou-se uma opção inteligente, pois, na volta, conseguimos pegar o mesmo ônibus mais vazio no ponto dos Mouros. Trata-se de um ônibus que faz um trajeto circular: do centro para Mouros e Queluz; de lá para o Centro.

O Castelo dos Mouros é mais rústico, sem ambientes internos, com escadarias - muitas e muitas - de pedras. Para quem já estava fazendo a quarta visita do dia, haja coração e perna!



Confesso: aqui, eu já estava entregando os pontos ao cansaço. Mas as vistas são compensadoras! 

Para conseguir ir aos quatro castelos, é imprescindível usar tênis. Eu vi umas moças com botinha de salto - aí é você quem sabe...

Ainda há mais coisas para visitar em Sintra, mas em um dia e com qualidade, creio que não dá mais tempo. Tínhamos a opção de retornar à Lisboa, ou pegar um ônibus para conhecer Cascais, ainda que rapidamente. Como encontramos o ônibus no ponto, fomos para lá. O trajeto foi demorado, quase duas horas em uma tarde quente. Com fome, paramos num shopping para lanchar, ainda deu tempo de ver o entardecer na praia, antes de pegar o trem para Lisboa.

Cascais

OBS. A rigor, os três primeiros são Palácios; somente o dos Mouros é chamado Castelo. Licença poética, ok?

DICAS PRÁTICAS:

- Na estação de trem, em Lisboa, compramos bilhete individual que dava direito a usar todo o trajeto de Lisboa a Sintra-Cascais, incluindo a descida em Queluz e o ônibus de Sintra que levava ao Palácio da Pena. Vale a pena pelo custo e pela praticidade.

- No Palácio de Queluz, o primeiro que visitamos, compramos um bilhete válido para quatro atrações: Queluz, Palácio Nacional de Sintra, Palácio da Pena e Castelo dos Mouros. Mais uma vez, compensa pelo preço e especialmente pela praticidade, economizando eventuais filas nos castelos seguintes.

- Quatro castelos em um dia é um projeto bacana e que exige pique. Dedicamos cerca de duas horas a Queluz e uma hora e meia a cada um dos outros, vendo detalhes e não apenas "passando o olho". Por outro lado, quem tem mais dias para viajar pode aproveitar para visitar o máximo de dois castelos por dia, com mais tranquilidade e tempo para apreciar cada detalhe. Trazer os livros sobre os castelos é uma ótima forma de continuar a visita e a descoberta depois de voltar para casa.

- Vi muitas pessoas com mais idade e cheias de pique, outras com carrinhos de bebê durante o passeio. Ou seja, tudo é possível, mas prepare-se, especialmente para as escadas dos Mouros.

Texto de Érika de Moraes
Fotos: arquivo pessoal de Érika & Ronaldo

Se você quiser perguntar ou compartilhar algo sobre Portugal, fique à vontade no campo de Comentários!

Nenhum comentário:

Postar um comentário