quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Milão: do Castello Sforzesco ao Duomo

Encantada pelo Duomo!

Costumam dizer que Milão é menos bonita que outras cidades italianas. De fato, não tem a beleza aconchegante da Toscana. É preciso abrir os olhos para uma beleza mais cosmopolita para se encantar por Milano. Uma beleza do tipo São Paulo; menos natureza, mais arquitetura. Embora eu tenha me identificado mais com a acolhedora Florença, ao chegar a Milano, deixei-me conquistar pela suntuosidade do Duomo, imponente, majestoso com sua Madonina ao alto; não é à toa que demorou 500 anos para ser construído! Chic a Via Dante, a Galleria Vittorio Emanuelle, ainda que apenas para lançar olhos de investigadora, já que é bem fora da (minha) realidade carregar sacolas Prada (essas, ficam com as mulheres de burqa, mais Sex and the City impossível). Vi pedacinhos de Milano e tomei partido: sou mais Dante do que Naviglio. Ah, o Duomo!!!

* * * 
O pequeno texto, acima, condensa a minha impressão sobre Milão. 
Confesso que cheguei um pouco cansada - era a metade da viagem - e já estava ansiosa por Paris. Cheguei a me questionar: por que 6 dias em Milão?
Hoje sei que poderia voltar e teria mais para ver. 

Chegamos num fim de tarde de agosto e o primeiro pedacinho que conheci foi esse do título: do Castello Sforzesco ao Duomo, e foi justamente o pedacinho que mais amei. Nosso hotel estava localizado exatamente nesse point, pertinho da Via Dante. 

Entardercer na Via Dante

Nosso primeiro jantar foi no Café de Ville, ali mesmo na Via Dante. Retornaríamos lá pelo menos mais duas vezes, já que gostamos do serviço, dos sabores e era perto do hotel.

O Duomo pelo ângulo das lojas à sua direita. 
À esquerda, fica a famosa Galleria Vittorio Emanuelle

Além do Duomo, a galleria Vittorio Emanuelle é o grande destaque dessa região. Tudo nela é lindo, "rhyco" e tem significado, do teto ao chão. As grifes, só para bolsos nobres: Chanel, Prada, Louis Vuitton, Versace, Luisa Spagnoli, 
Lá está a única placa "Fratelli Prada", memória da loja que já foi de dois irmãos. 
Nem sempre foi assim: já houve lojas tipicamente italianas por lá, mas os altos preços de aluguel local fizeram com que fossem substituídas pelas grifes internacionais. 

* * * 

Na manhã seguinte, passearíamos no belo Castello Sforzesco. 

* * * 

Texto: Érika de Moraes
Fotos: arquivo pessoal de Érika & Ronaldo

* Textos e imagens deste blog são de propriedade da autora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário