domingo, 30 de março de 2014

Praias do Porto

Em um segundo dia no Porto, após uma visita à Sé (que é maravilhosa!) e à Casa da Música, em frente da qual curti a beleza das folhas de outono, seguimos até a estação de metrô Matosinhos do Sul, a partir de onde caminharíamos pelas praias do Porto.


Além das áreas livres na Sé do Porto, pode-se, também, fazer a visitação da Sacristia e dos Claustros

Cenário idílico de Outono na Rotunda da Boa Vista

Seguimos pelas praias diversas: Matosinhos, Homem do Leme, Passeio Alegre...

No meio do caminho, havia mais do que uma pedra: um castelo de pedras, mais conhecido como Castelo do Queijo.



Entre as opções de restaurantes disponíveis, optamos por almoçar no Restaurante Homem do Leme, onde fomos atendidos por um garçom do Recife. (aprovado!)

Na praia de Matosinhos, fica a bela Avenida Brasil e os arcos tão emblemáticos da beleza do Porto.



Pegamos o bondinho no Passeio Alegre para voltar ao centro. Fomos, então, conhecer a simpática livraria Lello e Irmão. Queria muito ter tirado uma foto na escadaria vermelha, ao estilo da famosa imagem de Coco Chanel em sua própria escadaria, mas ficou só no desejo (e é até bom ter alguns desejos não realizados na lista da vida), porque é proibido fotografar neste estabelecimento. Por isso, trouxemos um livro com imagens e a história da Lello para recordar.

Finalizamos este dia com um serviço de chá da tarde do Café Majestic - que me lembrou um pouco o serviço da Fortnum & Mason de Londres (saudade! Relembre).


Detalhes e sabores do Café Majestic

E foi o dia de vislumbrar mais um pouco da arquitetura do Porto e despedir-se. Na manhã seguinte, pegaríamos o trem para Lisboa. (sobre Lisboa, já contei um pouco aqui, né?).

Texto: Érika de Moraes
Fotos: arquivo pessoal de Érika & Ronaldo

domingo, 23 de março de 2014

Sandeman - e o vinho do Porto


Como escolher entre o tinto e o branco doce vinho do Porto?
Degustando um pouquinho dos dois, rsrs

Qualidade em pequena quantidade - esta é realmente a intenção da visita às caves: degustar uma pequena dose após conhecer um pouco sobre a história dos vinhos.

Esta foi minha primeira experiência com o vinho do Porto, que é bem, bem docinho. Vale lembrar que ele também é beemmm forte (20% de álcool) e exige, por si só, moderação. É que seu modo de produção é bastante peculiar: o processo de fermentação é interrompido, a fim de garantir um sabor especial, e, nessa fase, é acrescentada aguardente.

Na visita às caves, somos recebidos por uma guia vestida à moda do personagem dos vinhos Sandeman, caracterizado pela capa dos estudantes portugueses e o sombrero espanhol, representando, assim, as duas principais nações onde o vinho é comercializado.


O vinho é envelhecido lentamente em tonéis de madeira

Tudo começou com publicidade

Mas nem sempre o gentleman de capa e chapéu foi o garoto propaganda de Sandeman.
A publicidade da marca tem toda uma história, repleta de sensualidade, ótimas jogadas de marketing e a controvérsia típica das boas e polêmicas estratégias.


E tudo termina em vinho!



Texto: Érika de Moraes
Fotos: arquivo pessoal de Érika & Ronaldo

sexta-feira, 7 de março de 2014

Porto - as duas margens do Douro

Ah, cidade bonita esta portuguesa! Se eu fosse D. Pedro também teria lutado por ela.
Diante da beleza do Douro, dá para passar tempos felizes, hein!
Mas faz de conta que, como eu, você só tem um fim de semana para o Porto. Vou contar o que deu para ver em dois dias caso queira se inspirar.


No primeiro deles, saímos a caminhar despreocupadamente, passando pela Praça do Paço do Conselho, a mesma que conhecemos na noite da chegada. Aproveitei a oportunidade para sentar um pouco no balanço do amor. Tínhamos muito para ver, mas, ah, amor, fica aqui comigo um pouquinho... Afinal, o que encontramos pelo caminho é tão importante (ou mais) quanto aquilo que procuramos.



Passamos, então, pela Estação São Bento, que é muito bonita, onde compramos nosso bilhete "Andante" (válido por três dias, com direito a conexões de metrô, ônibus e bondinho - compensa pela praticidade).

Estação São Bento: Azulejaria e outros adornos

Da estação, iríamos para a Sé, mas desviamos o caminho ao avistar o belo Palácio da Bolsa. Fizemos a visita guiada que estava para começar (7 Euros por pessoa). Não é permitido fotografar dentro do Palácio, então, o jeito seria tentar gravar as lembranças na memória (e não é que isso é bom?). Tudo chama a atenção, em especial o salão árabe, repleto de inscrições do Corão e "Honra à Rainha Maria I". As salas são repletas de talhas douradas e mistura de materiais originais com imitação (de madeira, granito, mármore), diz que era uma moda da época (ops! Taí uma parte do ouro do Brasil?). Achei que a visita valeu muito a pena!

Na Associação Comercial do Porto - Palácio da Bolsa

Caminhando por ruas estreitas do Porto

A Igreja suntuosa que achei muito fúnebre...

Depois dessa visita, indo em direção ao Douro, também paramos numa outra Igreja repleta de tumbas. Já que estávamos lá, fizemos a visita interna (mais 7 Euros por pessoa) e, desta vez, achei que não valeu tanto a pena, não... Mas, como eu saberia disso se não tivesse entrado? É uma impressão muito pessoal, o lugar me pareceu fúnebre demais.

Enfim, chegamos ao Douro! E aí tudo era questão de apreciar a paisagem. Aquela sensação de estar diante da Natureza-Deus.

Típicas moradias portuguesas vistas das margens do Douro

Ponte D. Luís I

Tudo em torno do Douro é lindo! Tivemos o privilégio de apreciar as águas límpidas diante de um céu super azul! De um lado, ficam os artesanatos, as paisagens típicas portuguesas, com varal à frente. De outro, as caves e o sabor do vinho do Porto. Há bons restaurantes nas duas margens. E barcos que fazem você realmente se sentir em uma paisagem portuguesa.

Atravessamos a ponte D. Luís I a pé para passar de uma margem do Douro à outra, onde ficam as caves. É muito legal para apreciar as vistas da cidade a partir dela. Também havíamos passado na parte superior ao chegar de trem.

Almoçamos "do lado de lá" da ponte para emendar com uma visita a uma das caves. O amado pesquisou e escolheu a Sandeman - que vai merecer um post à parte. 



Finalizamos esta tarde com a subida à famosa Torre dos Clérigos. Te digo: precisa de fôlego, viu! Quantos e quantos degraus estreitos!

Do alto da Torre dos Clérigos


Ainda visualizamos outras belas construções como a Igreja do Carmo e a Universidade do Porto.
E, por fim, lanchinho no Costa Café.
Assim foi o dia 1.

PS: é desta região as fotos do post-relâmpago que registrei ainda em Portugal.


Texto: Érika de Moraes
Fotos: arquivo pessoal de Érika & Ronaldo

quinta-feira, 6 de março de 2014

Porto Trindade Hotel - avaliação

Em uma viagem, acho reconfortante ter uma cama macia para recarregar as pilhas e recomeçar os passeios ou compromissos do dia seguinte. Por isso, a escolha do hotel é importante.

Seguem alguns ângulos do hotel no qual ficamos no Porto.

Detalhe da recepção


E detalhes do quarto

Vou registrar aqui a avaliação que fiz para o Trip Advisor:

Design e bem localizado!
O Porto Trindade Hotel é bastante confortável, novo e bonito, faz jus às fotos e ao estilo design. Pelo que pesquisamos, diferencia-se de outros da região que são mais "antigões". A localização é perfeita, em frente a uma estação de metrô (o que facilita muito a locomoção). Se ler que a rua do hotel é um pouco vazia à noite, não se preocupe, nada que assuste e você só anda meia quadra do metrô, além de ser perto de uma avenida muito movimentada, com restaurantes. Adoramos o hotel! Ainda oferecem um drink de boas-vindas (vinho do Porto) e o quarto tem uma garrafinha de água como cortesia. O café da manhã é ótimo, tem até pastel de Belém (se você ler críticas, geralmente é de alguém que não encontrou uma fruta específica, rs). Recomendo fortemente!

Infelizmente, a nota do hotel só não vai ser dez pelo quesito limpeza, que pode melhorar. Não que tenha sido péssimo - ou eu não teria ficado no hotel. Mas, por exemplo, encontrei uma boa camada de pó no móvel em torno da cama, que funciona como criado-mudo. Chato, né? Em um quarto tão bonitinho... Mas acredito que, com orientação, possam melhorar nisso também e chegar ao dez.

* * * 

O café da manhã, de fato, é um diferencial.



Para começar o dia com muita energia

Ah, e o nosso drink de boas-vindas - as taças de vinho do Porto - deixamos para a noite de despedida.

Tim-tim!

Para resumir minha avaliação, eu diria que o hotel é inspirador.

"Tenho em mim todos os sonhos do mundo"
(Fernando Pessoa)

Texto: Érika de Moraes
Fotos: arquivo pessoal de Érika & Ronaldo

quarta-feira, 5 de março de 2014

Chegada ao Porto - Café Majestic

Nossa viagem a Portugal, sobre a qual venho contando aqui, começou com um fim de semana no Porto (é, contei sobre Lisboa primeiro, cronologicamente ao contrário, deixando as lembranças falarem).

Chegamos ao aeroporto de Lisboa num sábado bem cedinho. Naquele dia, não havia voo direto para o Porto, então optamos pela conexão de trem após o voo da TAP. A viagem de trem foi tranquila e com almoço servido a bordo (bilhetes comprados pelo site Comboios de Portugal - ao comprar com antecedência, tem desconto, inclusive para primeira classe). Por garantia, compramos um horário com tempo de sobra (vá que o voo atrasasse...), por isso esperamos três horas na estação. 

Comboios de Portugal - Lisboa-Porto. O primeiro bacalhau português

Conclusão: esperava aproveitar a tarde no Porto, mas estávamos beemmm cansados (especialmente eu) e a cama confortável do Porto Trindade Hotel chamou-me como um ímã. 
Foi ótimo dormir um pouco!!!! Em vez de eu passear rabugenta e sonolenta, estava super esperta para curtir nossa primeira noite em Portugal, que começa cedo, já que, em fim de outono, escurece antes das seis da tarde. 

Saímos a pé do hotel e logo estávamos diante de uma bela paisagem natalina. Uma linda árvore de Natal iluminava a Praça do Paço do Conselho e aquela primeira noite já começava a fazer valer a viagem!





Só para variar, cada detalhe da primeira paisagem noturna portuguesa que desfilava diante de mim ia enchendo meus olhos e meu coração da intensidade das descobertas das crianças. Fascinei-me com os balanços iluminados por mensagens de natal: SONHO: FAMÍLIA; AMOR; ABRAÇO... tudo em nossa língua, eis o primeiro sentimento de familiaridade. Concorridos, todos os balanços estavam ocupados, mas voltaríamos lá no dia seguinte pela manhã. 

Enquanto apreciávamos a noite no Porto, caminhamos até o Majestic Café que é simplesmente... majestoso! Sua decoração é rica em detalhes e o cardápio bastante variado. 








Encerramos a noite com o doce aí da foto acima, uma rabanada com creme que lembra o do Pastel de Belém (só que mais leve) e com canela.

Retornamos ao hotel para, no dia seguinte, aí sim, acordar bem cedo e aproveitar!

Texto: Érika de Moraes
Fotos: arquivo pessoal de Érika & Ronaldo

terça-feira, 4 de março de 2014

Angatu - um recanto verde em Bauru para meu fevereiro

FEVEREIRO é intenso. 
(ops... não passei no Liquimix em fevereiro? Mas deixei um post no Estilo)

Como eu poderia não amar fevereiro? 
Fevereiro é o "meu" mês. Nasci num fevereiro, em pleno domingo de carnaval. Outros acontecimentos marcantes também vieram em fevereiro. Casei num fevereiro (relembre a história maluquinha do meu casamento). No fevereiro do ano passado, também iniciei em meu emprego atual, conquista bem batalhada. 
É tão especial fevereiro que costuma ter um dia com hora a mais, a hora devolvida do Horário de Verão. Foi assim no meu casamento. Foi assim neste meu aniversário. 

Fevereiro merece uma pausa. 
Merece comemoração. 
E, no dia 15, sábado de meu aniversário, escolhi um lugar bem alegre e, ao mesmo tempo, tranquilo, para celebrar a vida. Porque nem sempre é preciso ir tão longe para a mente viajar! O Angatu, um restaurante meio afastado em Bauru, com bastante verde e comidinha bem caseira e saborosa. Lá, o celular não pega bem (ideal para se desligar da Internet). Como redes e linhas telefônicas não são o forte do local, lá também não passa cartão de banco (precisa levar dindin ou cheque #ficaadica). Por outro lado, tem rede preguiçosa para deitar!


#Family #Friends #Gifts

#Love


E foi assim que, em mais um fevereiro, fiquei mais bela. 

E que venham outros fevereiros para eu comemorar tudo de novo!!!!!

Como gosto bastante do Angatu, separei aqui fotos de outras vezes em que estive por lá. Além das redes, tem lago, animaizinhos num viveiro, pássaros, terra para as crianças construírem seus castelos. 
Legal chegar mais cedo para fazer uma caminhada em torno do lago, pela manhã, antes do almoço. 
LINDO DE VIVER!







Texto: Érika de Moraes
Fotos: Arquivo pessoal de Érika de Moraes & Ronaldo Schiavone